FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

O Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina (SINPOL/SC), lamenta com profundo pesar a morte da colega Policial Militar de Chapecó, a Soldado Caroline Pletsch, fato ocorrido na noite desta segunda-feira, dia 26 de março, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte.

Caroline e seu marido, o também Policial Militar de Santa Catarina, Sargento Marcos Paulo da Cruz, estavam viajando em férias pela região do Parque das Dunas, em Natal, quando foram baleados durante uma tentativa de roubo na pizzaria em que jantavam.

Leia mais...

O fim de semana foi de caos em Tramandaí. A cela onde só cabem quatro detentos, abrigava 11 presos. Outros detidos ficaram algemados em viaturas na porta da delegacia, aguardando vagas. A situação chegou a tal gravidade, que o Delegado Antônio Carlos Ractz Jr, em um ato de grande coragem, decretou a interdição das duas celas da DPPA.

Além de Tramandaí, a DPPA recebe os presos de Imbé, Atlântida Sul, Cidreira, Balneário Pinhal, Quintão, Capivari do Sul, Palmares do Sul, Mostardas e Tavares. A situação, que já era preocupante, se agravou com a interdição da Penitenciária Modulada de Osório.

A direção da UGEIRM esteve em Tramandaí na tarde desta segunda-feira (26), para verificar pessoalmente a situação e prestar assistência aos policiais lotados na DPPA. A situação encontrada é realmente muito preocupante. Presos amontoados nas celas e detidos em viaturas na porta da delegacia, colocam em risco a integridade física dos Agentes e da população que utiliza a Delegacia.  Havia, inclusive, uma mulher presa, o que fazia com que os agentes de plantão tivessem que redobrar os cuidados para garantir a integridade da presa.

Leia mais...

Clube fará plantão na sede do Sinpol nesta QUINTA-FEIRA (29/03), das 10h às 16h.

O Meridien Clube, conveniado do Sinpol RS, está com uma grande promoção aos filiados. Até o dia 31 de março, a associação ao clube tem 100% de desconto no valor da adesão. O valor normal da adesão para convênios é de R$ 250.

O Meridien oferece planos de viagens de 7 diárias para 2 pessoas com café da manhã em ampla Rede de Hotéis conveniados no Brasil e no Exterior por apenas R$ 164,80 mensais. Saiba mais em www.meridienclube.com.br ou ligue (51) 3224.8283 e siga o @meridienclube no facebook para acompanhar as novidades.

O Sinpol RS fechou um novo convênio com a Clínica Odontológica Odonto Mix. Os associados terão direito a 10% de desconto nos serviços e procedimentos e acesso a parcelamentos em cartão de crédito e cheques. 

A Odonto Mix

Rua Dr. Malheiros, 152, cj 01/02

Bairro Santo Antônio, Porto Alegre

Telefone (51) 3223-6860

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site: clinicaodontomix.com.br

O deputado Pedro Ruas (PSOL), apresentou na Assembleia Legislativa, um Projeto de Lei (PL 41/2018) que institui o Programa de Segurança e Saúde no Trabalho dos Agentes de Segurança Pública do Rio Grande do Sul. A ideia é baseada em um projeto aprovado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, de iniciativa do deputado Marcelo Freixo.

O Projeto pretende instituir um programa que implemente, de forma permanente e eficaz, propostas que garantam a saúde dos servidores da segurança pública. O programa tem três eixos: garantir a vida, os direitos e a dignidade dos trabalhadores da segurança; prevenir doenças laborais através do mapeamento dos principais riscos à saúde e segurança e fornecer o atendimento adequado aos agentes que enfrentarem problemas físicos ou psíquicos.

A necessidade de um programa de atendimento a saúde dos profissionais da segurança pública, é uma reivindicação antiga da categoria. Além disso, o projeto pode ser uma importante ferramenta no combate ao Assédio Moral, que tanto mal traz à saúde dos (as) policiais. Atualmente, já existe uma atuação da Divisão de Saúde da Polícia Civil (antigo SAS) nesse sentido. Apesar do importante trabalho executado pelos profissionais da Divisão, a existência de uma legislação que regulamente e padronize essa questão é muito importante. “O assédio moral é um problema histórico na Polícia Civil, são recorrentes as denúncias de assédio moral. Muitas chefias não sabem distinguir o limite entre a autoridade e o autoritarismo, isso, via de regra, vira assédio moral”, aponta Fábio Castro, vice presidente da Ugeirm.”

Leia mais...

No último dia 15 de março, policiais civis, que serviram ao Estado do Paraná foram homenageados com Menção Honrosa, em sessão solene, na Assembléia Legislativa do Estado do Paraná. Na oportunidade foram homenageados os policiais, Alexandre Perin Pimenta, Leonardo Noddny, Adailton Joaquim Candido e Luiz Carlos Durieux.

Leia mais...

ATENDIMENTO POR TELEFONE:

Segundas às Quintas-feiras, das 9h às 12h, ocasião em que disponibilizaremos um advogado integrante de nossa Equipe para atender. Atualmente, quem fará o atendimento é o Advogado Guilherme.

No caso do Associado ter recebido alguma intimação de audiência ou prazo que esteja fluindo, será disponibilizado o telefone, de segunda à sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h, na opção 2, para que receba a orientação devida, através de advogado capacitado.

ATENDIMENTO PESSOAL:

Leia mais...

Da Redação (*)

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgoto do Estado do Rio Grande do Sul (Sindiágua/RS), protocolou na manhã desta terça-feira (20), no Palácio Piratini, um pedido de providências com documentação obtida através da Lei de Acesso à Informação, sobre a não utilização por parte da atual direção da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que podem chegar a mais de meio bilhão de reais. A documentação compreende informações da Corsan, Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal. O pedido de providências pede a suspensão imediata de toda a diretoria da Corsan, por gestão temerária.

Segundo essa documentação, nas gestões de 2007-2010 e 2011-2014, a direção da Corsan se habilitou a mais de R$ 4 bilhões para obras em saneamento junto ao Ministério das Cidades. O contrato do PAC-2, Grupo 1, Terceira Seleção, publicado no Diário Oficial de 06/03/2013, aponta o sindicato, estabeleceu o valor de R$ 521.917.615,23 para obras de esgoto em oito cidades do Vale dos Sinos, onde se localiza um dos principais rios do Estado e que sofre com a poluição.

Leia mais...

Com satisfação convocamos e anunciamos os filiados do SINPOL para participarem de Assembléia Ordinária, na data de 22/03/2018, às 15 horas, na Sede do próprio Sindicato, para acompanhar a posse da nova Diretoria Executiva e do novo Conselho Fiscal, vencedores das eleições realizadas neste dia 19/03/2018.

TIAGO LUIS LEMOS

Interventor – SINPOL

A Comissão Eleitoral anuncia que na tarde de hoje, 21 / 03 / 2018 ocorreu a apuração dos votos da disputa eleitoral do SINPOL – 2018, na própria sede do Sindicato, contando com a presença de representantes de ambas chapas. Participaram do pleito um total de 671 eleitores aptos (conforme decreto-Lei 1402/39),  saindo vencedora da disputa para a Diretoria Executiva do SINPOL a chapa 1  – “Construção – Integração – Transparência”, tendo por Presidente o colega Agente de Polícia Faunner Alfredo Cavon, contando com 518 votantes.

Leia mais...

Foi divulgada, nesta terça-feira (20), a nova identidade visual da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Na mesma solenidade, que contou com a participação do governador Sartori/MDB, do Secretário de Segurança, Cezar schirmer, e do Chefe de Polícia, Emerson Wendt, também foi assinado o decreto que institui as medalhas do mérito inteligência policial, mérito investigação criminal, mérito gestão administrativa, mérito gestão de polícia judiciária, mérito funcional e selos de eficiência no âmbito da Polícia Civil.

No mesmo momento em que era assinado o decreto que prevê a farta distribuição de medalhas aos policiais, a UGEIRM recebia o balanço do número de presos nas delegacias da capital e da região metropolitana. Noventa e sete presos lotavam as carceragens dessas delegacias. Seguindo a atual situação, o governo terá que instituir uma medalha chamada “vida policial em risco”, a ser entregue aos Agentes que atuam nas delegacias da capital e da região metropolitana. Ao mesmo tempo, terá que reconhecer que o “selo de eficiência no âmbito da Polícia Civil” tende a ficar encalhado na sala do secretário de Segurança.

Leia mais...

Quando, em 20 de março de 1980, um grupo de 72 Agentes da Polícia Civil gaúcha, decidiu criar, em Assembleia realizada na sede do CPERS, uma entidade que representasse os (as) Policiais Civis do Rio Grande do Sul, não imaginavam que aquela pequena Associação fosse se transformar em um dos maiores e mais representativos sindicatos gaúchos. Entre esses 72 bravos colegas, é importante ressaltar a presença de uma mulher, a hoje Comissária Jeromita Barrada, numa época onde a participação feminina era extremamente limitada.

Leia mais...

Giovana Fleck

Final de tarde de sexta-feira. Na Rua dos Andradas nº 1137, cerca de sete funcionárias se preparavam para encerrar o expediente. O telefone toca. “Alô? Eu estou ligando porque estou em cárcere privado”, disse, nervosa, a voz feminina com sotaque do interior. Nesse dia, seu marido saiu de casa e trancou a porta – mas esqueceu o celular. Alguns dias antes, tinha deixado o computador. Assim, a vítima conseguiu pesquisar as palavras “proteção para mulheres” e encontrou o contato da Themis, organização focada em gênero, justiça e direitos humanos.

“Todo dia, pelo menos uma mulher liga pedindo ajuda”, afirma Denise Dora, membro fundadora da Themis. Com a missão de ampliar as condições de acesso à justiça para mulheres, a organização representa um foco de resistências na luta pela igualdade em um país onde uma mulher é vítima de feminicídio a cada duas horas, de acordo com levantamento realizado pelo G1. Somente no Rio Grande do Sul, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de 2017, foram 324 tentativas de feminicídio no Rio Grande do Sul e 83 casos consumados – isso antes da entrada do termo em boletins de ocorrência.

Leia mais...

Em julho do ano passado, a Polícia Civil gaúcha sofria um grande ataque. Ao sair para o cumprimento de um Mandado de Busca e Apreensão, com sua equipe, o Agente Rodrigo Wilsen da Silveira foi morto por traficantes que estavam em um apartamento em Gravataí. A categoria fez várias manifestações, cobrando a punição dos culpados e melhores condições de trabalho para os Agentes da Polícia Civil.

Na próxima sexta-feira (23), acontecerá o júri popular dos acusados pelo homicídio de Rodrigo Wilsen. A UGEIRM está convocando todos os policiais para se fazerem presentes no Fórum de Gravataí. A presença dos Agentes tem o objetivo de mostrar à sociedade, que os Policiais Civis não deixarão a morte de Rodrigo cair no esquecimento. A abertura dos trabalhos do Júri acontecerá às 13 horas e a direção da UGEIRM recomenda que os (as) policiais compareçam vestidos com a camisa da Polícia Civil e lotem a frente do Fórum de Gravataí.

O policial civil por si só, na sua grande maioria,me atrevo a dizer que na sua totalidade, consegue ver coisas estranhas ou suspeitas onde outras pessoas olham e não enxergam nada, talvez pelo exercício da função ou um possível dom desenvolvido com o tempo. Partindo desta premissa, tentaremos expor aos amigos a angústia, ansiedade e indignação do Sinclapol quando senta em uma mesa de negociação com pessoas do governo.

Os policiais civis representantes do Sinclapol nas reivindicações, na já citada mesa de negociação escutam coisas, que voltando ao início do primeiro parágrafo sabem que não é o pretendido ou o prometido, mas que para não causar ruptura no processo, “acreditam” no que lhes é apresentado, ao término da reunião, saem com a promessa, a qual é idêntica a anterior, que por sua vez é a mesma que já não foi cumprida, mas que agora, com alguns ajustes será posta em prática logo após, uma nova reunião, que oportunamente será marcada, resignados, certamente estarão a postos na próxima negociação.

Nessas horas seria muito fácil perder a calma e “chutar o balde”, dizer explicitamente que não somos “loke”, extremamente difícil é manter a calma e a postura e continuar negociando objetivando o bem da classe e é isso que está sendo feito com competência e responsabilidade porque temos mais de dois mil motivos para isso, e como escreveu Rudyard Klipling.“Se és capaz de manter a tua calma quando todo mundo ao seu redor já perdeu e te culpa... – és um Homem meu filho”.

Cyro José Vicelli

Diretor Financeiro

Bruno Fonseca, Caroline Ferrari
Da Agência Pública

Mais de 17 mil juízes recebem o benefício no país, a um custo de R$ 74 milhões por mês; maior gasto é da Justiça estadual de São Paulo

Apenas em janeiro deste ano, o Judiciário brasileiro gastou mais de R$ 74 milhões com auxílio-moradia para cerca de 17 mil juízes e desembargadores. Ao final de 2018, o valor total gasto no ano pode ultrapassar os R$ 897 milhões, caso todos esses magistrados mantenham seus benefícios. O teto para o pagamento do auxílio-moradia, indenização estendida para todos os magistrados pelo ministro do STF Luiz Fux em 2014, é de R$ 4.377,73 por mês.

Os dados são resultado de um levantamento realizado pela Agência Pública com base nas informações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e dos próprios tribunais.

A reportagem contabilizou todos os benefícios pagos por 61 dos 62 tribunais federais e estaduais de Justiça, Militares e do Trabalho, além do CNJ, que paga auxílio a apenas um magistrado, o juiz auxiliar Sérgio Ricardo de Souza, de R$ 4.158,85. Apenas o Tribunal de Justiça do Mato Grosso não respondeu até o fechamento desta reportagem. Os tribunais eleitorais, sejam o Superior ou os regionais, ficaram de fora do levantamento porque não pagam auxílio-moradia a seus magistrados. O mesmo ocorre com o Conselho da Justiça Federal.

Leia mais...

Recebimento de Chapa Concorrente

Conforme dispõe a necessária urbanidade foi recebido na manhã de hoje a chapa SER, NÃO PARECER.
É assim que se faz a verdadeira democracia.

Nesta terça-feira (13), a Assembleia Legislativa aprovou os projetos que faltavam para a reestruturação do IPE Saúde, concluindo assim a votação das quatro propostas do Executivo que dividem a autarquia em duas estruturas, uma para gerir o sistema de assistência à saúde e outra para a previdência dos servidores estaduais. Os projetos relativos ao IPE Prev já haviam sido aprovados, por 32 votos a 22, na sessão de 6 de março.

A grande pressão feita pelos servidores na Assembleia Legislativa, conseguiu alterar significativamente a proposta do governo para o IPE Saúde. Após muita negociação e pressão, os deputados da bancada governista aceitaram incluir, no projeto, emendas que garantiram, entre outras coisas, que os servidores não tenham que pagar 40% nos procedimentos e internações hospitalares, como previsto na proposta original do governo Sartori/MDB. Além da garantia de manutenção da gratuidade nos procedimentos, outras alterações importantes foram:

Leia mais...

Nesta terça-feira (13), a Assembleia Legislativa vai votar o Projeto de Lei  212/17, que dispõe sobre o Sistema de Assistência à Saúde e sobre o Fundo de Assistência à Saúde dos servidores públicos estaduais. O projeto será o primeiro na pauta de votação. Se aprovado, isso irá representar o aumento de até 40% em consultas, exames, serviços e procedimentos, privatização e precarização dos atendimentos.

Também irá a votação o PL 211/17, o qual dispõe sobre a criação do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul – IPE Saúde e dá outras providências.

A direção da UGEIRM está convocando todos os policiais da capital e região metropolitana para estarem presentes na Praça da Matriz. O sindicato já montou sua barraca na praça. O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz lembra que “é a nossa saúde e das nossas famílias que está em jogo. Se deixarmos, vamos ter que pagar 40% de coparticipação em todos os procedimentos. Alguns procedimentos se tornarão inviáveis, pois vai se tornar impossível pagar os 40% de tratamentos longos e caros. Vamos pressionar os deputados a votar contra mais esse absurdo do governo Sartori/MDB”.

Leia mais...