FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Casos mais recente foi nesta quarta-feira, com dois soldados da Brigada Militar mortos na zona leste de Porto Alegre

Era pouco mais de 22h de quarta-feira (26) quando Rodrigo da Silva Seixas, 32 anos, e Marcelo de Fraga Feijó, 30 anos, foram mortos no bairro Partenon, na zona leste de Porto Alegre. Em um beco escuro e estreito da Vila Maria da Conceição, onde um carro não é capaz de cruzar, os policiais militares deram início a uma perseguição que ampliaria a soma de uma das estatísticas que mais geram comoção na sociedade e nos órgãos de segurança pública: a de vítimas de farda.

Nos últimos cinco anos — de 2014 até agora —, foram 41 policiais militares e civis mortos no Rio Grande do Sul, de acordo com dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP), obtidos por GaúchaZH via Lei de Acesso à Informação (LAI). Destes, 38 envolvem profissionais da Brigada Militar (BM), como os soldados Seixas e Feijó, integrantes do 19º Batalhão de Polícia Militar (19ºBPM), vítimas do caso mais recente deste tipo de crime.

Leia mais...

previewOrdens judiciais foram cumpridas no conjunto habitacional Princesa Isabel nesta quarta-feira

A Polícia Civil realizou, na manhã desta quarta-feira (26), operação contra assaltos ao transporte coletivo de Porto Alegre. Cerca de 150 agentes cumpriram quatro mandados de prisão e 26 de busca e apreensão no Condomínio Princesa Isabel, no bairro Azenha, na área central da Capital.

Seis pessoas foram detidas — quatro devido às ordens judiciais e dois por desacato. Os nomes não foram divulgados.

Enquanto a polícia levava a dupla detida por desacato, os moradores se revoltaram, gritando xingamentos contra os agentes. Segundo a mãe de um deles, o adolescente tem 16 anos e estava indo para a escola.

— Ele não é bandido. Pra que levar ele para a delegacia?

Leia mais...

A direção da UGEIRM concretizou convênio com a Construtora Melnick Even, que atua na área de construção e urbanização. A parceria estabelecida com a empresa, propiciará aos associados do sindicato benefícios exclusivosnos empreendimentos da Melnick Even. Veja abaixo, alguns dos benefícios que os sócios da UGEIRM passarão a ter.

  • Concessão de 5% a 25% de descontos sobre os Imóveis oferecidos aos filiados e dependentes;
  • DESCONTO EXTRA para os Contratos Assinados;
  • Benefícios estendidos aos parentes de primeiro grau (pais, filhos e cônjuges).

Para saber demais Promoções , entre em contato com a Consultora exclusiva Melnick Even ou com o setor de convênios da UGEIRM.

Contato com a Melnick Even: Isabel Fantin  9.8586-7002 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Em assembleia geral extraordinária realizada em Florianópolis, na data de 24 de junho de 2019, diante da pauta estabelecida ficaram definidas as seguintes ações:

Seguir a pauta nacional de mobilização no dia 25 de junho de 2019, reunindo os policiais civis em frente à 5ª DP da Capital, na rua Lauro Linhares, 208, bairro Trindade, das 14h às 16h, distribuindo panfletos e orientando a população sobre a falta de isonomia com os militares na reforma da previdência. Na ocasião haverá participação da imprensa local.

Pedimos aos policiais civis participantes que estejam trajados com a camisa da PC ou camisa preta.

A dispensa dos policiais civis para que possam participar do movimento durante o expediente não foi autorizada pela Delegacia Geral, assim, pedimos aos policiais que por ventura possam utilizar do seu banco de horas, ou estiverem de folga, para que compareçam no local indicado e juntem-se aos demais colegas.

Leia mais...

A partir desta terça-feira, 18 de junho, a Cinemateca Capitólio Petrobas recebe a mostra Insurreição. Com curadoria de Marcus Mello e realização do Goethe-Institut e da Aliança Francesa de Porto Alegre, a mostra apresenta 17 filmes até o dia 28 de junho. O valor do ingresso é R$ 10,00, com meia entrada para estudantes e idosos.

Programação:

18 de junho (terça-feira)
13h30 – Suspíria – A Dança do Medo
16:00 – O Teto Sobre Nós + Era o Hotel Cambridge 
18:00 – Zero de Conduta 
19:00 – Secundas + Espero Tua (Re)Volta, sessão seguida de debate com os diretores Cacá Nazário e Eliza Capai e a ativista Marcela Jesus

Leia mais...

A falta de vagas no sistema prisional fez com que cerca de 170 presos ficassem  detidos em viaturas da Brigada Militar e celas das delegacias de Porto Alegre e de seis municípios da Região Metropolitana no começo da noite desta segunda-feira (17). O número é maior do que o registrado durante a manhã, quando havia cerca de 140. 

Dos 172 presos nestas condições por volta das 18h, 119 estavam detidos em viaturas e 53 em celas das carceragens de delegacias.

A situação mais crítica foi registrada na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Canoas. Por volta das 18h, havia  13 detidos em celas e 29 em viaturas, sendo custodiados por policiais militares. Em Porto Alegre, a 2ª DPPA, junto ao Palácio de Polícia, na Avenida Ipiranga, tinha 11 presos na carceragem e 25 em viaturas no fim da tarde. 

Pela manhã, havia oito viaturas com presos em frente ao Palácio de Polícia. Dessas, duas são do Interior, com policiais que se deslocaram para a Capital para fazer o policiamento nos jogos da Copa América. A calçada do local chegou a ser bloqueada por conta da presença dos carros da polícia, obrigando pedestres a andar junto aos carros. 

Leia mais...

Annie Castro e Luís Eduardo Gomes

previewO dia que começou em Porto Alegre com uma forte repressão da Brigada Militar aos manifestantes que tentavam bloquear as garagens de ônibus com piquetes terminou com uma enorme manifestação para marcar o dia nacional de Greve Geral pelas ruas do Centro e da Cidade Baixa. Para os organizadores, 50 mil pessoas participaram do ato marcado para iniciar na Esquina Democrática e que teve encerramento no Largo Zumbi dos Palmares. Ainda que “estimativas da organização” tenham o costume de inflar os números para cima, o ato desta sexta-feira (14) certamente contou com a participação de dezenas de milhares de pessoas.PUBLICIDADE

Eram mulheres, homens, idosos, jovens, famílias com carrinhos com bebês, representantes de partidos, centrais sindicais e movimentos estudantis, ou apenas pessoas preocupadas com a reforma da Previdência e os cortes na educação. A primeira, a pauta oficial do ato. A segunda, pauta que se somou após as também extensas manifestações dos dias 15 e 30 de maio. À semelhança dos dois atos contra os cortes na educação, durante a tarde, milhares de pessoas começaram a se reunir diante do prédio da Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul para confeccionar bandeiras e faixas. Além da reforma e dos cortes, as reportagens publicadas pelo site The Intercept Brasil com conversas vazadas entre o ex-juiz e agora ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o procurador da República Deltan Dallagnol também estiverem presentes em diversos cartazes e falas, na concentração da Faced e, posteriormente, durante o ato.

Leia mais...

previewUm grande número de policiais civis lotou o Bar do Beto, no Bairro Bom Fim em Porto Alegre, na noite da última terça-feira (11), para comemorar os 30 anos da Aula Inaugural da última Turma de Investigadores da Polícia Civil, que ingressou na Instituição em 1989.

Foi uma noite de reencontros e muitas lembranças entre os(as) policiais civis. O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, esteve presenta na comemoração e fez questão de parabenizar os colegas. “Esse tipo de confraternização é muito importante para a instituição. Além disso, é uma data que realmente deve ser marcada. Essa foi a última turma de Investigadores da Polícia Civil, colegas que dedicaram boa parte da sua vida à Polícia Civil gaúcha. A UGEIRM parabeniza a “Turma dos Unha Grande” e espera que possamos fazer muitas outras comemorações com esses colegas”.

Leia mais...

previewRede Brasil Atual

O país amanheceu em greve geral de 24 horas convocada pelas centrais sindicais, com o apoio de organizações sociais e estudantis, da Frente Brasil Popular e da Frente Povo Sem Medo, contra a reforma da Previdência e os retrocessos promovidos pelo governo Jair Bolsonaro (PSL). Além do direito à Previdência e à aposentadoria digna, a greve reivindica o fim dos arrocho na educação pública, o respeito à soberania nacional e medidas efetivas para a retomada econômica, com criação de empregos de qualidade e garantia de renda para os trabalhadores.PUBLICIDADE

Em dezenas de capitais, não há transporte público. A lista de trabalhadores mobilizados é extensa: bancários, professores, metalúrgicos, trabalhadores da educação, estudantes e docentes de universidades federais e estaduais, trabalhadores da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, químicos e rurais, portuários, agricultores familiares, motoristas, cobradores, caminhoneiros, eletricitários, urbanitários, vigilantes, servidores públicos estaduais e federais, petroleiros, enfermeiros, metroviários, motoristas de ônibus, previdenciários e moradores de ocupações por todo o Brasil.

Leia mais...

Na última terça-feira (11), pela manhã o SINPOL RS recebeu de um filiado, uma denúncia em forma de vídeo sobre o caos que estava instaurado na 2° DPPA no Palácio da Polícia.

O Presidente Emerson Ayres se deslocou ao local e testemunhou o que estava acontecendo e, como temos o compromisso de defender o Policial Civil, denunciamos a situação para o público.

Leia mais...

Prezados associados,

Excepcionalmente nesta semana, devido ao feriado do dia 20 de junho, não teremos atendimento jurídico nos dias 18 (terça-feira) e 20 (quinta-feira), mas haverá no dia 19 (quarta feira), atendimento que será realizado pelo escritório Baratieri Advogados das 14h às 18h.

Leia mais...

previewAs Centrais Sindicais brasileiras estão convocando, para o dia 14 de junho, uma Greve Geral contra a reforma da Previdência. O movimento pretende dar um claro recado aos parlamentares e ao governo, que os trabalhadores não aceitarão a destruição da sua aposentadoria. A UGEIRM apoia o movimento convocado pelas Centrais Sindicais, porém, seguindo deliberação da COBRAPOL (Confederação Brasileira de Policiais Civis), não estará em greve no dia 14 de junho.

O Sindicato está orientando os (as) policiais civis, a realizarem um dia de mobilização nas Delegacias e nos seus locais de trabalho. A partir de toda a mobilização que, com certeza, acontecerá no nosso estado, os (as) policiais devem dialogar com a população, explicando a necessidade de barrar o projeto de reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional. Para isso, é importante que seja explicado, também, as consequências que esse projeto trará para segurança pública.

Leia mais...

previewEsta é uma semana do muito importante para quem vai sofrer algum impacto com a reforma da previdência, em especial para os policiais que terão seus direitos usurpados se o texto original for aprovado. O motivo é que no decorrer do dia 10 a 14 de junho, ocorrerá um capítulo decisivo para a PEC 06/2019, a leitura e votação do relatório na Comissão Especial criada para sua análise.

A Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis, COBRAPOL, em virtude disto, convocou seus diretores, entre os quais estão dois representantes do SINPOL RS para que estivessem em Brasília nesta semana neste momento.

Em companhia de outros 37 diretores representantes das 27 unidades federativas do país, o objetivo da viagem é visitar, conversar, explicar e exigir dos deputados que compõem a Comissão Especial, a preservação dos direitos do Policiais Civis Brasileiros.

Atendendo prontamente ao chamado, o SINPOL RS mandou seus diretores, Mário Flanir que é Diretor Jurídico da entidade e também Diretor Jurídico da COBRAPOL e o Secretário-Geral do Sindicato e Vice-Presidente Regional Sul da confederação Sandro Quevedo.

Após um mapeamento do voto dos parlamentares os policiais civis, os diretores da COBRAPOL, divididos em grupos representativos procuraram todos os parlamentares integrantes da Comissão Especial para explicar e pedir destaque nas emendas que contemplam nossa aposentadoria de forma digna.

Leia mais...

previewNa tarde da última terça-feira (11), a direção da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis, Cobrapol, liderada pelo Presidente André Gutierrez, esteve reunida com o Líder do Governo Bolsonaro, Deputado Federal Major Vitor Hugo (PSL/GO) em seu gabinete, para obter apoio e buscar uma posição definitiva sobre o reconhecimento e inserção no relatório do Deputado Federal Samuel Moreira (PSDB/SP), relator da reforma da Previdência (PEC 6/19), as reivindicações por meio de emendas, atendendo aos policiais civis brasileiros.

Os pleitos são aposentadoria com integralidade e paridade, pensões integrais por morte em objeto de serviço, transição com percentual igual aos militares das forças armadas, extinção das alíquotas exorbitantes previdenciárias, não a desconstitucionalização das aposentadorias, etc).

Como resposta o Líder do Governo afirmou que esteve reunido na segunda-feira (10), com o relator da PEC 6/2019, e este afirmou que não vai considerar nenhuma das reivindicações policiais, salvo as pensões e transição do período faltante para quem não tempo para se aposentar. O relator declarou que está em plena sintonia com o Presidente da Câmara Deputado Federal Rodrigo Maia(DEM/RJ), e que o texto da PEC enviada pelo Presidente Bolsonaro será aprovada pelo seu relatório integralmente, com exceção aos pontos referidos, assegurou ainda que tem o apoio dos governadores.

Leia mais...

previewNa última terça-feira (11), pela manhã o SINPOL RS recebeu de um filiado, uma denúncia em forma de vídeo sobre o caos que estava instaurado na 2° DPPA no Palácio da Polícia.

O Presidente Emerson Ayres se deslocou ao local e testemunhou o que estava acontecendo e, como temos o compromisso de defender o Policial Civil, denunciamos a situação para o público.

A repercussão foi enorme porque uma circunstância tão calamitosa e tão perigosa para os policiais e a para população no entorno do palácio preocupa a todos. Confira abaixo a reprodução do material de alguns dos veículos de comunicação que entraram em contato conosco para debater o assunto.

A custódia de presos após a formalização dos atos de polícia judiciária não se encontra no hall de atribuições dos Policiais Civis.

O SINPOL RS permanece na luta contra a permanência de detentos nas delegacias e assim como denunciou está circunstância, mantém firme a posição de lutar pelos direitos e garantias dos Policiais Civis.

Na foto, o presidente fala com o Cidade Alerta da Record.

Clicando no Link é possível conferir a reportagem de GaúchaZH sobre o assunto.