FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

A partir do ingresso do ICMS, governo do Estado alcança o pagamento integral da folha para 280 mil vínculos

O governo do Estado irá quitar ainda nesta terça-feira (13) os salários de fevereiro para todos os servidores do Poder Executivo. O crédito ingressará na conta bancária entre o final da tarde e o início da noite.

Restavam ainda 18% dos servidores sem receber os salários do mês passado, o que representava um total de 61.200 vínculos. No mês passado, a Fazenda registrou uma receita líquida de R$ 2,521 bilhões, enquanto as despesas neste período somaram R$ 3,690 bilhões. A parte líquida da folha de fevereiro fechou em R$ 1,216 bilhão, sem considerar os valores das consignações. Ao todo, o Executivo contempla 342 mil vínculos entre ativos, inativos e pensionistas.

Leia mais...

A Cobrapol - Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis lançou uma nota de apoio a candidaturas de Policiais Civis para as eleições deste ano. No documento, a entidade lembra as graves crises política, econômica e social que atingem o País e conclama os Policiais Civis a engajarem-se no pleito de 2018. 
A nota também lembra as tentativas de retirada de direitos dos trabalhadores policiais civis e a necessidade urgente de um esforço coletivo para mudar a representação política, especialmente a do Congresso Nacional. 

Confira AQUI a íntegra da NOTA.  

Valor pago pelo governo federal se refere a despesas com abastecimento e manutenção de viaturas e diárias dos agentes na cidade.

A presença da Força Nacional em Porto Alegre já custou mais de R$ 24 milhões para o governo federal, sem incluir a folha salarial do efetivo, paga pelos Estados de origem dos agentes. O valor foi utilizado para diárias, manutenção e abastecimento de viaturas e ainda para materiais de uso coletivo e individual. A despesa corresponde ao período de 26 de agosto de 2016, quando o contingente foi mobilizado para vir à Capital, até o final do ano passado.

A Força Nacional desembarcou no Estado após a morte da representante comercial Cristine Fonseca Fagundes, baleada na frente da filha. Depois do latrocínio, o então secretário da Segurança Pública, Wantuir Jacini, deixou o cargo. Inicialmente, vieram 136 agentes e, agora, o contingente está em 196 pessoas. Durante o período, a quantidade de agentes na cidade oscilou (veja gráfico abaixo).
 
A maior parte do efetivo atua no reforço do policiamento e um pequeno grupo auxilia nos trabalhos de investigação de homicídios da Polícia Civil.

Leia mais...

Sílvia Lisboa, Carla Ruas

Jessica Rodrigues, 26 anos, ouviu um murmurinho do lado de fora da sua pequena casa de tijolo em Sapiranga, cidade de 80 mil habitantes no interior do Rio Grande do Sul. Era setembro de 2016. Ao abrir a porta, levou um susto: deu de cara com três meninas, com idades entre três e oito anos, debaixo de chuva. Uma vizinha que acompanhava as crianças explicou que a prima de Jessica, Jocasta dos Santos, tinha sido presa naquela manhã por organização criminosa ligada ao tráfico de drogas, e tinha nomeado Jessica para cuidar das crianças. “Elas pareciam tão perdidas e confusas. Nem pensei duas vezes e acolhi as meninas”, lembra.

Aos 24 anos, Jocasta foi presa por fazer parte de uma organização criminosa. De acordo com sua advogada, a prisão ocorreu porque ela trocou mensagens de WhatsApp e apareceu em fotos do Facebook com traficantes conhecidos da Região Metropolitana de Porto Alegre. De dentro do Presídio Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre, Jocasta admitiu que seu marido estava traficando drogas em um bar improvisado que mantinham nos fundos de casa. Apesar de se beneficiar da renda extra advinda do tráfico, jurou que nunca se envolveu nos negócios do marido, preso na mesma ocasião.

Leia mais...

O evento foi muito além de uma simples comemoração pois tratou de temas atuais e polêmicos relativos a mulher. Com o título “Todos por Elas”, a semana de 06 a 09 de março, em comemoração ao dia da Mulher (8 de março) teve uma conotação especial e foi promovido pela Coordenadoria das Delegacias da Mulher – CODEM em parceria com a Escola Superior da Polícia Civil comemorando o Dia Internacional da Mulher e os 33 anos da Delegacia da Mulher com um cronograma repleto de atividades promovendo a integração, conscientização, aprimoramento e bem estar das servidoras da Segurança Pública e das Forças Armadas.

O evento encerrou na última sexta-feira (9) e contou com a presença de servidores e representantes do Sinclapol, o presidente, Fabio Rossi Barddal Drummond, 1º vice-presidente, Daniel Luiz Santiago Côrtes, diretor de assuntos parlamentares, Rohanito Navarro de Goes e Dalton Pazello, presidente do Conselho Fiscal do Sinclapol.

Violência Contra a Mulher.

Leia mais...

A partir do ingresso do ICMS, governo do Estado alcança o pagamento integral da folha para 280 mil vínculos

Servidores com rendimento líquido entre R$ 3.000 e R$ 5.000 terão os salários de fevereiro quitados ainda nesta segunda-feira (12). A partir do ingresso de arrecadação do ICMS, o governo do Estado paga integralmente 280.519 vínculos do Poder Executivo. Esse número representa 82% do funcionalismo com os vencimentos integralizados desde a virada do mês. Para atender a mais esse grupo de servidores (72.320 contratos), a Secretaria da Fazenda (Sefaz) precisou reunir um total de R$ 300,7 milhões.

Os valores estarão disponíveis na rede bancária no início da noite. Ainda na última sexta-feira (9), foram pagos os salários para os servidores com rendimento líquido entre R$ 1.750 e R$ 3.000, o que contemplou, no acumulado, 61% do funcionalismo. Segue a previsão de quitar os salários para os 18% restantes dos servidores (61.200 vínculos) até esta terça-feira (13). Para complementar a parte líquida da folha serão necessários ainda R$ 539,1 milhões.

Leia mais...

Com 32 votos favoráveis, a Assembleia Legislativa aprovou, na última terça-feira (6), a proposta do governo Sartori/MDB que altera a estrutura do Instituto de Previdência dos Servidores do Rio Grande do Sul (IPE). A proposta, encaminhada no final do ano passado, divide a autarquia em duas. Com a alteração, o atual IPE ficará responsável por administrar o Plano de Saúde dos servidores públicos estaduais e uma nova autarquia, o IPE Prev, passa a ser o gestor único do regime de previdência dos servidores.

A proposta foi duramente criticada pelos servidores públicos. De acordo com as entidades representativas desses trabalhadores, as alterações propostas pelo governo foram feitas de forma apressada, sem a devida discussão com os servidores, que são os verdadeiros donos e interessados na reestruturação do IPE. As entidades argumentam, que as alterações feitas abrem a possibilidade de privatização e sucateamento do IPE Saúde, causando uma grande migração de servidores para Planos de Saúde privados. Além disso, a criação de uma nova autarquia para gerir a previdência dos servidores, representará um aumento de despesas por parte do governo do estado.

Emenda da UGEIRM resguarda pensão de viúvas de servidores mortos em serviço

Leia mais...

Aos 08 dias do mês de março do ano de 2018, a Comissão Eleitoral do Sinpol/SC deliberou e decidiu pela homologação das chapas candidatas à Diretoria Executiva, e, homologação dos nomes candidatos ao Conselho Fiscal do Sinpol/SC para o período vacante até abril de 2019.

Seguem abaixo a composição de ambas as chapas e dos candidatos ao Conselho Fiscal.

 

CHAPA 01 : “CONSTRUÇÃO – INTEGRAÇÃO – TRANSPARÊNCIA”

Leia mais...

Dia 8 de março, às 19h, teremos a abertura da exposição Nítida – Qual o nosso lugar agora, se não é o mesmo de antes?do coletivo Nítida, formado pelas fotógrafas Camila Domingues, Deb Dorneles, Desirée Ferreira, Leli Baldissera e Lívia Auler.

Segue abaixo release com informações do evento e da exposição, um breve textos das artistas e, em anexo, imagens com respectivas fichas técnicas.

Agredecemos a divulgação em seu veículo e nos colocamos à disposição para qualquer informação extra.

Atenciosamente,

Charlene Cabral [Casa Baka Arte e Cultura]

———————————————————————————————————————

Nítida – fotografia e feminismo, após dois anos como um coletivo de fotógrafas, lança sua primeira exposição. A abertura acontecerá no dia 8 de março, data emblemática para a luta das mulheres, e será realizada a partir das 19h na Casa Baka (Rua da República, 139 – Cidade Baixa, Porto Alegre). A mostra encerra no dia 18 de maio e a visitação pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 21h, e aos sábados das 9h às 12h. A entrada é franca. 

Leia mais...

Giovana Fleck

“Eu quero ser super heroína pra dar casa e moradia pra todas as mulheres que precisam.” Thamilly tem 6 anos. Junto com sua mãe, Lilian, e seus irmãos, viveu a reintegração de posse da Ocupação Lanceiros Negros na Rua General Câmara. Assim como outras centenas de meninas e mulheres, Lilian e Thamilly fizeram parte da Marcha das mulheres do campo e da cidade, que marcou este 8 de março em Porto Alegre.

Desde o final de 2017, Thamilly e sua família moram na Ocupação de Mulheres Mirabal – um centro de referência estabelecido dentro de um prédio que ficou anos em desuso. “Hoje, Porto Alegre conta com apenas um centro de referência com apenas 11 vagas. Isso não corresponde a uma realidade em que uma mulher morre por violência doméstica a cada cinco minutos”, disse Zeidi Araujo Trindade, membro da organização do movimento 8M em Porto Alegre.

Leia mais...

Da Redação

As mulheres têm mais escolaridade que os homens, mas recebem, em média, cerca de três quartos do rendimento deles. Ocupam apenas 38% dos cargos gerenciais (públicos ou privados) e dedicavam, em 2016, 73% mais horas nos cuidados de pessoas e afazeres domésticos. Os dados são do IBGE.

A desigualdade se revela entre as próprias mulheres, no recorte por cor ou raça, conforme a classificação do instituto. “A dimensão educacional também revela a grande desigualdade existentes entre as mulheres, segundo a sua cor ou raça: 23,5% das mulheres brancas têm ensino superior completo, um percentual 2,3 vezes maior que o de mulheres pretas ou pardas (10,4%) que concluíram esse nível de ensino.” Ainda no recorte por escolaridade, 21,5% das mulheres completaram o ensino superior, entre as pessoas na faixa de 25 a 44 anos. Entre os homens, 15,6%.

Leia mais...

Da Página do MST

Cerca de 800 mulheres de diversos movimentos populares ocuparam, na manhã desta quinta-feira (8), o parque gráfico do jornal impresso no Rio de Janeiro, que pertence ao grupo Globo Comunicação. O objetivo da ação é denunciar a atuação da empresa no processo político brasileiro, em especial a participação da Globo no golpe, desde o impedimento da presidenta Dilma em 2016 até perseguição ao presidente Lula, para inviabilizá-lo como candidato em uma eleição democrática.

Participaram da ocupação mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, do Levante Popular da Juventude, do Movimento dos Atingidos por Barragens e do Movimento dos Pequenos Agricultores, além de moradoras de comunidades da cidade. “A Globo promove os golpes em pró de seus interesses empresariais, não interessa as consequências para o país. Por isso ela é criminosa. Ela não é inimiga só dos trabalhadores, ela é inimiga de toda a nação”, afirmou Ana Carolina Silva, do Levante Popular da Juventude.

Leia mais...

É preciso tratar todos com equidade para que nossa sociedade seja mais justa, menos desigual e, porque não, mais segura.

Chegamos ao Dia Internacional das Mulheres de 2018 confrontadas com o desafio do desequilíbrio de gênero que persiste há séculos. Continuamos votando menos em candidatas que em candidatos em eleições, pagando a elas salários menores e matando mulheres simplesmente pelo fato de serem mulheres. Então, afinal, o que há para celebrar neste 8 de março?

Celebramos nossa luta pelo fortalecimento de nosso protagonismo. Celebramos as secundaristas no movimento estudantil, as dezenas de milhares de nós que romperam o silêncio e falaram sobre assédio, as manifestações que lideramos demandando ampliação de direitos. Celebramos o fato de nos tornarmos maioria entre os brasileiros com ensino superior, de sermos referências em tantas áreas e de sermos exemplos de lideranças inovadoras e inspiradoras.

Leia mais...

Entre 2007 e 2014, cada 10% de aumento na diferença salarial reduziu em 1,5% a expansão do PIB

ÉRICA FRAGA
São Paulo

Com cinco anos de carreira, a analista de logística Laíse Pereira, 26, recebe menos que o marido, o estatístico Rafael Ribeiro dos Santos, 29, ganhava com um ano de formado.

“Vejo a batalha dela e não me conformo. Sinto na pele a vantagem de ser homem branco em relação a ela, que, além de mulher, é negra”, diz ele.

“Sei que a formação importa. O Rafael estudou na USP, sei que a área também influencia. Mas acho que nada justifica a discrepância tão grande”, afirma ela, que fez administração na Unip e pós-graduação no Senac.

Leia mais...

São 4.473 homicídios dolosos em 2017, um aumento de 6,5% em relação a 2016. Isso significa que uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil. Falta de padronização e de registros atrapalham monitoramento de feminicídios no país.

Doze mulheres são assassinadas todos os dias, em média, no Brasil. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 considerando os dados oficiais dos estados relativos a 2017. São 4.473 homicídios dolosos, sendo 946 feminicídios, ou seja, casos de mulheres mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero.

Brasil tem 12 mulheres vítimas de homicídio por dia

Leia mais...

São 4.473 homicídios dolosos em 2017, um aumento de 6,5% em relação a 2016. Isso significa que uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil. Falta de padronização e de registros atrapalham monitoramento de feminicídios no país.

Doze mulheres são assassinadas todos os dias, em média, no Brasil. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 considerando os dados oficiais dos estados relativos a 2017. São 4.473 homicídios dolosos, sendo 946 feminicídios, ou seja, casos de mulheres mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero.

Brasil tem 12 mulheres vítimas de homicídio por dia

Leia mais...

Projeto ainda tipifica o crime de divulgação de cena de estupro; texto vai ao Senado. Objetivo de punir importunação sexual é evitar casos como de homem que ejaculou em mulher em ônibus.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (7) um projeto que aumenta a pena em caso de estupro coletivo e torna crime a importunação sexual e a divulgação de cena de estupro.

O projeto já havia sido aprovado pelo Senado, mas como os deputados modificaram o texto, os senadores deverão analisar a proposta novamente.

Pelo texto, com a tipificação dos crimes de divulgação de cena de estupro e de importunação sexual, as penas poderão variar de um a cinco anos de prisão.

Leia mais...

No dia 8 de março, o mundo inteiro comemora o Dia Internacional da Mulher. É o dia das mulheres policiais gaúchas comemorarem as várias conquistas conseguidas até aqui. Mas, principalmente, de lembrarmos os direitos que conquistamos e que estão colocados em risco. Várias ameaças estão colocadas para as mulheres policiais.

Em nível nacional, a reforma da Previdência, apesar de abandonada temporariamente pelo governo Temer, ainda é uma ameaça que pode ser retomada a qualquer momento. Com ela, uma das principais conquistas das mulheres, o direito a uma aposentadoria diferenciada, que reconhece a dupla jornada exercida pelas mulheres, está colocada em risco.

Aqui no nosso estado, a aposentadoria da mulher policial vem sendo constantemente colocada em risco. Um Parecer elaborado pela PGE (Procuradoria Geral do Estado), a pedido do governo Sartori/MDB, questiona concretamente a constitucionalidade desse direito conquistado com muito luta e garantido na Constituição de 1988. Essa posição é uma crueldade com mulheres que dedicam sua vida a garantir a segurança da população. Além de um direito garantido na Constituição de 1988, a aposentadoria da mulher policial é um reconhecimento ao trabalho de mulheres que colocam sua vida em risco diariamente.

Leia mais...

Novo depósito amplia pagamento integral para 120 mil matrículas

 

Os servidores com rendimento líquido entre R$ 1.200 e R$ 1.750 terão os salários de fevereiro quitados ainda nesta quinta-feira (8). Com mais esse depósito, o governo do Estado amplia o pagamento integral para 120.430 matrículas, o que representa 35% do funcionalismo vinculado ao Poder Executivo. Para atender a mais esse grupo de servidores (65.543 vínculos), a Secretaria da Fazenda (Sefaz) precisou dispor em caixa R$ 105,4 milhões. Os valores estarão disponíveis na rede bancária entre o final da tarde e o início da noite.

Leia mais...