FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

O SINPOL RS obteve nesta terça-feira (27) uma importante vitória para os Policiais Civis do Rio Grande do Sul.

Em abril de 2017, a entidade por meio da banca jurídica Costalunga Gotuzzo Advogados, ajuizou ação coletiva na Justiça para solicitar a isenção das taxas relativas ao porte e ao registro de armas de fogo a Policiais Civis inativos.

Apesar de o Estatuto do Desarmamento assegurar, desde 2003, a isenção das taxas de registro, renovação, segunda via de registro, porte federal, renovação de porte e segunda via de renovação de porte de arma de fogo a integrantes das forças de segurança pública, a administração pública federal não reconhece o direito a policiais inativos, sejam eles civis, militares ou federais.

Leia mais...

O Sinpol RS reuniu-se, na tarde desta segunda-feira (26), com o vereador e deputado estadual eleito, Dr Thiago (DEM). Na ocasião, foram discutidos temas relativos à Segurança Pública e aos servidores públicos estaduais. 


O presidente do Sinpol RS e da Feipol Sul, Emerson Ayres, entregou ao parlamentar uma cópia do anteprojeto da Lei Orgânica das Políciais Civis e solicitou apoio da bancada do DEM para a sua tramitação junta à Câmara dos Deputados. Também foram debatidas o projeto que prevê a Reforma da Previdência e seus impactos aos trabalhadores da Polícia Civil do País. 


Participaram do encontro representantes da Ugeirm e do SindPerícias. 

Às vésperas de encerrar seu mandato, e claramente com o objetivo de dizer à população que fez grandes avanços na segurança pública, o governador José Ivo Sartori anunciou no final da tarde de quinta-feira (22) a autorização para a convocação de 400 agentes aprovados no concurso da polícia civil, para fazer o curso de formação na Academia de Polícia, Acadepol.

O governador Sartori diz repetidamente: “Fizemos um dos maiores concursos da história da Segurança pública do Rio Grande do Sul”, o que ele esquece de dizer junto a esta frase, é que a convocação anunciada totaliza apenas um terço dos aprovados no concurso.

A Polícia Civil gaúcha está em situação de defasagem, esquecida e desrespeitada pelo poder público. Para que o efetivo seja recuperado, é necessário a realização de mais cinco concursos, com o número mínimo de 1000 vagas em cada um.

Leia mais...

previewAconteceu na cidade da fronteira do estado, nos dias 8 e 9 de novembro, o VII Seminário Estadual da Polícia Civil. Com o tema “Gestão da Investigação Criminal”, o evento contou com a participação de aproximadamente 500 policiais de todo o estado. Durante os dois dias, realizaram-se diversas palestras e painéis sobre temas de interesse da Polícia Civil gaúcha.

As atividades tiveram inicio com a palestra “Ferramentas Tecnológicas na Investigação Criminal”, ministrada pelo delegado Alessandro Gonçalves Barreto, que é Coordenador-geral de Contrainteligência da Dint/Senasp. A exposição foi mediada pelo Chefe de Polícia, Delegado Emerson Wendt. Na sequência, o professor Rogério Bohn, da Escola Superior de Propaganda e Marketing – (ESPM), palestrou sobre “Os Desafios da Gestão”. A apresentação teve como mediadora a delegada Andrea de Melo da Rocha Mattos, Diretora da Divisão de Planejamento e Coordenação (Diplanco).

Leia mais...

previewAs delegacias da região metropolitana sofrem com uma nova onda de superlotação das suas carceragens. Com o fim melancólico do governo Sartori/MDB se aproximando, os policiais civis têm que lidar com o risco que representa a permanência de presos nas delegacias. O problema, que virou uma marca registrada do governo que termina, parece não ter fim. Nesta quarta-feira (21), eram 91 presos que permaneciam, ilegalmente, nas dependências das DPPAS da região metropolitana.

Somente em São Leopoldo, eram 24 detentos que se amontoavam na carceragem da delegacia. O prédio, que não possui a mínima condição de funcionamento, se torna uma verdadeira bomba relógio, com a permanência de mais de 20 presos nas suas dependências. A realidade é que, mesmo sem a presença de presos, a Delegacia de Pronto Atendimento de São Leopoldo já deveria estar fechada. Suas instalações são uma verdadeira calamidade, a rede elétrica pode entrar em curto a qualquer momento, em dias de chuva, os alagamentos são frequentes e a total falta de condições sanitárias expõe os policiais ao risco iminente de contraírem doenças infectocontagiosas. A UGEIRM já encaminhou uma denúncia ao ministério Público, pedindo a interdição do prédio. Até o momento, nenhuma providência foi tomada.

Leia mais...

A Polícia Civil, mesmo com condições precárias de trabalho, baixíssimo efetivo policial, salários desproporcionais, mínimo apoio do governo do estado e da secretaria de segurança...

Faz o melhor por você!

Precisamos valorizar nossos policiais!

previewA direção da Cobrapol, constituída pelo Presidente André Gutierrez, Diretor Jurídico Nacional Mário Flanir Martins, e a Presidente da Feipol da Centro Oeste Norte, Marcilene Lucena, reuniram-se com o futuro Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, nesta quinta-feira (22/11). O encontro ocorreu na Fundação Cultural do Banco do Brasil, em Brasília, onde está instalada a equipe de transição do governo eleito.

Na ocasião, foi entregue ao próximo titular da pasta um ofício de congratulações pelo comando, bem como, reivindicando que a aposentadoria especial do policial seja mantida com suas especificidades e benefícios em razão das atribuições constitucionais da categoria. Igualmente foi abordada a necessidade que os temas: reforma do CPP, PEC da Unificação e implantação da Lei Orgânica da Polícia Civil, sejam considerados e amplamente discutidos com a Cobrapol, a qual é a legítima representante dos policiais no Brasil. Foi solicitado a Moro que a confederação esteja presente e faça parte efetiva dos estudos e proposições referentes às matérias.

No mesmo evento, a Cobrapol foi recebida pela secretária pessoal do presidente eleito Jair Bolsonaro,  Heloisa Carvalho, que recebeu e protocolou o ofício, com o mesmo teor do entregue a Moro, direcionado ao futuro líder da nação. A funcionária garantiu que o documento será entregue em mãos ao novo presidente.

Por fim, foi mantido longo contato com o senador gaúcho Luiz Carlos Heinze, que  também integra a equipe de transição. Heinze garantiu total apoio político aos pleitos dos policiais civis, sempre respeitando a pasta ministerial originária.

previewBomba é colocada na casa de policial gaúcho” é destaque hoje em um importante veículo de comunicação da capital, o fato é que, Patrício Jardim Antunes, policial civil gaúcho, encontrou no amanhecer de segunda-feira (19) junto à janela de sua casa, em Dom Pedrito, restos de uma fogueira e uma térmica com conteúdo pesado que o lhe causou estranheza. Mais tarde, o Grupo de Ações Táticas, Gate, confirmou que tratava-se de uma bomba com potencial para danificar consideravelmente o imóvel e que trazia riscos importantes à família, o artefato só não explodiu por acionamento incorreto.

“Recebi tantas ameaças nos meus oito anos de Polícia que jamais imaginei que poderia acontecer”, revelou o policial.

Jardim é casado com uma agente penitenciária e tem dois filhos. A família teve que se retirar do imóvel até que o artefato fosse detonado em um terreno baldio próximo.

Leia mais...

previewEm setembro de 2015, com a Assembleia Legislativa cercada, o governo Sartori/MDB conseguia aprovar sua proposta de aumento de impostos. Com a aprovação, a alíquota do ICMS subiu de 17% para 18% em janeiro de 2016. O imposto sobre gasolina, álcool, telecomunicações e energia elétrica comercial e residencial acima de 50 kw também tiveram aumento de 25% para 30%. Os aumentos tinham validade até o fim do mandato do governador, ou seja, agora em dezembro de 2018. O discurso adotado era de que, com o tarifaço e os cortes de investimentos, as contas do estado estariam ajustadas no fim de 2018, possibilitando a volta das tarifas aos patamares anteriores.

Tudo não passou de uma grande mentira, como a UGEIRM já alertava na ocasião. Com as políticas recessivas adotadas pelo governo Sartori/MDB e a sua total incapacidade administrativa, o que vimos foi um aprofundamento da crise. Os salários dos servidores continuam atrasados, com o agravante de termos a possibilidade do encontro das folhas de pagamento no mês de dezembro e o 13º sem perspectiva de pagamento. O caixa do governo vai ser entregue ao próximo governador com saldo negativo. A segurança pública, a educação e a saúde foram completamente desmontadas e a população entregue ao medo da violência que chegou a níveis assustadores. Essa é a herança deixada por José Ivo Sartori ao novo governador.

Leia mais...

Na data de Hoje, 20/11/2018, estivemos em reunião como UPB - PR (União dos Policiais do Brasil - Paraná) com o Senador eleito Professor Oriovisto Guimarães.
 
O Líder da UPB, Nunes, expôs as necessidades de apoio com relação a reforma da previdência, e o presidente do sindicato, Barddal, expôs os pleitos estaduais.

Leia mais...

previewA UGEIRM firmou convênio com uma das maiores casas de carne do estado. A partir de agora, os sindicalizados da UGEIRM terão 15% de desconto sobre o total da conta, ou sobre a parte paga pelo associado (exceto produtos em promoção), na Parrilla Del Sur. O restaurante fica localizado na Rua Amélia Teles, 399, em Porto Alegre (Fone: (51) 3012-7878 | (51) 3012-9267)

A Parrilla Del Sur oferece aos clientes um cardápio tipicamente uruguaio em um ambiente contemporâneo e aconchegante. Sua especialidade são os cortes de carne do Uruguai feitos em uma grande parrilla localizada no salão principal. Para acompanhar, guarnições como batata recheada, pimentões assados e a requisitada salada Ceasar. A sobremesa destaque fica por conta da torta de alfajor, uma massa folhada recheada de doce de leite e coberta com chantilly. Para beber, as opções são chopp, cervejas nacionais e uruguaias. Mas para quem prefere vinhos e espumantes, a casa conta com uma qualificada carta de vinhos nacionais e internacionais. A adega oferece vinhos das melhores regiões produtoras do mundo, dentre delas, a Serra Gaúcha. Com capacidade para 500 lugares, o local já conquistou a preferência do público gaúcho e de turistas que estão de passagem pela capital.

A direção da UGEIRM participou, na tarde desta terça-feira (13), de uma reunião com os deputados federais eleitos pelo PTB, Maurício Dziedricki e Marcelo Moraes, e o atual deputado estadual pelo mesmo partido, Ronaldo Santini. O encontro, solicitado pela UGEIRM e o Sinpol-RS, teve como objetivo entregar o documento aprovado pela UPB (União dos Policiais do Brasil), que expõe o posicionamento dos policiais brasileiros em relação à discussão da reforma da previdência e que já foi encaminhado ao presidente eleito, Jair Bolsonaro.

As entidades ressaltaram a importância da preservação da aposentadoria policial, com a garantia da paridade e da integralidade, explicando que mais do que direitos, essas são questões que devem ser encaradas como centrais em uma política de segurança pública.

Os parlamentares receberam as propostas e se comprometeram a fazer uma análise mais detida sobre as propostas. Também se colocaram à disposição para fazerem a interlocução em Brasília, das questões que afetam diretamente as categorias da segurança pública e entregar a carta da UPB à bancada do PTB eleita para a próxima legislatura no Congresso Nacional.

A UGEIRM, seguindo orientação decidida na reunião da UPB realizada em Brasília, prosseguirá se reunindo com os parlamentares gaúchos eleitos para a próxima legislatura.

Veja, abaixo, a íntegra do documento encaminhado aos deputados do PTB:

previewCARTA DOS POLICIAIS BRASILEIROS

A UPB não compartilha com os termos apresentados no texto da PEC 287/16, uma vez que eles desconsideram as particularidades e peculiaridades inerentes à atividade de risco policial, entendendo ser necessário maior discussão, ao tempo em que destacamos os seguintes pontos:

1 – A referência conceitual, que equipara os contingentes policiais aos militares das Forças Armadas, está contida na decisão do Supremo Tribunal Federal, em sede do MI 774, 07/04/2014: “em razão de constituírem expressão da soberania nacional, revelando-se braços armados da nação, garantidores da segurança dos cidadãos, da paz e da tranquilidade públicas”;

2 – O ordenamento jurídico brasileiro reconhece que o servidor policial expõe sua integridade física a risco no exercício de sua atividade constitucional, com dedicação integral, exclusiva e à mercê de iminente perigo de morte ou de invalidez permanente. Tanto é que o Supremo Tribunal Federal, quando do julgamento da ADI 3817/2006-DF, firmou o entendimento de que o policial no labor de sua função cotidiana exerce atividade de risco, singularidade esta que o diferencia das demais categorias de servidores públicos. Em razão de sua missão precípua, o policial deve ter um tratamento diferenciado em relação ao trato previdenciário;

Leia mais...

Desde 2015, através da iniciativa do seu diretor Rohanito Goes o SINCLAPOL vem participando das reuniões dos CONSEGS da Capital e Região Metropolitana, que congregam 44 CONSEGS e atingem 2 milhões de habitantes.  A instituição Policia Civil é membro nato dessas reuniões e não tem participado ao contrario da co irmã.

Os CONSEGS tem se mostrado importantíssimos para que o Executivo preste atenção e tome providencias para que a Policia e o Policial possam trabalhar melhor.

Leia mais...

Reunião de Superintendentes das delegacias de Polícia da capital, região metropolitana e especializadas.

Com o objetivo de melhorar a comunicação do Sindicato com a classe policial, o SINCLAPOL promoveu uma reunião com os superintendentes das delegacias de policia da capital, região metropolitana e especializadas.

Na Reunião foram expostos pelo presidente do sindicato Barddal, pontos de importância e interesse de toda a classe da Polícia Civil do Paraná.

Leia mais...

O evento será realizado no Auditório da Polícia Rodoviária Federal – PRF em Curitiba, no dia 29 de novembro de 2018, com início às 13h30 e término às 19:30 horas, tendo como público alvo: Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal – PRF, Polícia Militar, Polícia Federal, Receita Federal e Estadual, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretária de Agricultura, Agência de Defesa Agropecuária, Agência Brasileira de Inteligência – ABIN

 

 

No dia 1 de outubro, o SINPOL-SC, solicitou que os policiais associados se voluntariassem para fazerem parte da Comissão Eleitoral que irá presidir as eleições da nova Diretoria Executiva, para o triênio 2019-2022. Nesses 43 dias, os policiais que se manifestaram estão nomeados abaixo, estes terão a nobre missão de organizar o pleito.

Leia mais...

previewA UPB (União dos Policiais do Brasil) enviou, nesta quinta-feira (08/11), uma carta ao presidente eleito do País, Jair Bolsonaro, com os principais pleitos dos Policiais Civis. 

No documento, a entidade reitera a disposição para o combate à corrupção e às organizações criminosas e em busca da justiça e da paz pública. Mas salienta que o texto da PEC 287/16, conhecida como Reforma da Previdência, desconsidera as particularidades e peculiaridades inerentes à atividade de risco policial. Entre os argumentos contidos na carta está o de que o servidor policial expõe sua integridade física a risco no exercício de sua função e à mercê de iminente perigo de morte ou de invalidez permanente e, em razão de sua missão precípua, o policial deve ter um tratamento diferenciado em relação ao trato previdenciário. 

A carta também registra o resultado de estudos recentes da Fundação Getúlio Vargas – FGV, relativos ao ano de 2016, demonstrando que a expectativa de vida do policial varia de 52 a 58 anos, incluindo nesse universo de pesquisa e estudos os policiais militares, civis, federais e rodoviários federais. O quadro revela a disparidade entre a expectativa de vida dos policiais e a dos demais servidores, o que também enseja um tratamento previdenciário diferenciado. Diante desses e outros argumentos, a UPB solicita ao novo mandatário uma atenção especial aos trabalhadores das Polícias Civis do País.  

Leia mais...

previewO Sinpol-RS e a Ugeirm participaram de reunião, nesta terça-feira (13/11), com os deputados federais eleitos Maurício Dziedricki e Marcelo Moraes, do PTB, durante a qual foi entregue cópia da Carta firmada pela UPB (União dos Policiais do Brasil). O documento, entregue ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, apresenta os principais pleitos dos Policiais Civis.

No documento, a entidade reitera a disposição para o combate à corrupção e às organizações criminosas e em busca da justiça e da paz pública. Mas salienta que o texto da PEC 287/16, conhecida como Reforma da Previdência, desconsidera as particularidades e peculiaridades inerentes à atividade de risco policial. Entre os argumentos contidos na carta está o de que o servidor policial expõe sua integridade física a risco no exercício de sua função e à mercê de iminente perigo de morte ou de invalidez permanente e, em razão de sua missão precípua, o policial deve ter um tratamento diferenciado em relação ao trato previdenciário. 

A carta também registra o resultado de estudos recentes da Fundação Getúlio Vargas – FGV, relativos ao ano de 2016, demonstrando que a expectativa de vida do policial varia de 52 a 58 anos, incluindo nesse universo de pesquisa e estudos os policiais militares, civis, federais e rodoviários federais. O quadro revela a disparidade entre a expectativa de vida dos policiais e a dos demais servidores, o que também enseja um tratamento previdenciário diferenciado. Diante desses e outros argumentos, a UPB solicita ao novo mandatário uma atenção especial aos trabalhadores das Polícias Civis do País.  

Leia mais...

previewAs entidades que compõem a União dos Policiais do Brasil (UPB), entre elas a COBRAPOL, se reuniram na última quarta-feira (7), em Brasília. A reunião teve como objetivo, discutir as estratégias e ações que os policiais adotarão nos próximos meses, afim de combater a proposta de Reforma da Previdência.

Os dirigentes das entidades ressaltaram a necessidade, caso se confirme a votação da Reforma da Previdência ainda esse ano, de travar uma forte luta para garantir a exclusão dos policiais do projeto a ser votado. A principal reivindicação da entidade é que o risco de vida inerente à atividade policial, já reconhecido pela Constituição Federal, seja respeitado.

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, ao longo do ano de 2016, 453 policiais civis e militares foram vítimas de homicídio no cumprimento de seu dever. Além do risco da atividade policial, estudos recentes da Fundação Getúlio Vargas, também relativos ao ano de 2016, demonstram que a expectativa de vida do policial varia de 52 a 58 anos, incluindo nesse universo de pesquisa e estudos os policiais militares, civis, federais e rodoviários federais. Essa disparidade entre a expectativa de vida dos policiais e a dos demais servidores, exigem que essas categorias tenham um tratamento diferenciado na discussão da Reforma da Previdência.

Leia mais...

previewA direção da UGEIRM se reuniu, na terça-feira (6), com a Comissão dos Policiais Civis aprovados no último concurso público. Os integrantes da Comissão procuraram a entidade, com o intuito de buscar informações a respeito do cumprimento do cronograma, incluindo a convocação para o início das aulas na Acadepol, levando-se em conta que o concurso está sendo concluído.

Durante a reunião, os futuros policiais procuraram se informar, também, sobre a atuação do sindicato e como poderiam se articular afim de garantir o cumprimento do cronograma de provas e a convocação dos aprovados o mais rápido possível. A direção do sindicato fez uma exposição sobre o trabalho da UGEIRM, incluindo a luta histórica pela convocação dos 650 aprovados, que só foram convocados pelo governo Sartori após uma longa mobilização. Além disso, a direção expôs as conquistas conseguidas pela categoria, particularmente a implantação da Tabela de Subsídios, que foi responsável por uma expressiva valorização da carreira policial no estado.

Leia mais...