FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Dia 8 de março, às 19h, teremos a abertura da exposição Nítida – Qual o nosso lugar agora, se não é o mesmo de antes?do coletivo Nítida, formado pelas fotógrafas Camila Domingues, Deb Dorneles, Desirée Ferreira, Leli Baldissera e Lívia Auler.

Segue abaixo release com informações do evento e da exposição, um breve textos das artistas e, em anexo, imagens com respectivas fichas técnicas.

Agredecemos a divulgação em seu veículo e nos colocamos à disposição para qualquer informação extra.

Atenciosamente,

Charlene Cabral [Casa Baka Arte e Cultura]

———————————————————————————————————————

Nítida – fotografia e feminismo, após dois anos como um coletivo de fotógrafas, lança sua primeira exposição. A abertura acontecerá no dia 8 de março, data emblemática para a luta das mulheres, e será realizada a partir das 19h na Casa Baka (Rua da República, 139 – Cidade Baixa, Porto Alegre). A mostra encerra no dia 18 de maio e a visitação pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 21h, e aos sábados das 9h às 12h. A entrada é franca. 

O coletivo é formado por artistas e pesquisadoras que buscam refletir sobre a presença da mulher no campo da fotografia e das artes visuais. O grupo foi criado a partir da percepção e questionamentos relativos à invisibilidade da produção artística de mulheres ao longo da história, e que se perpetua na sociedade atual. Essa falta de protagonismo é percebida não apenas nos livros e ambientes acadêmicos, como também no circuito de festivais, museus e galerias. Portanto, o objetivo da Nítida é fortalecer a representatividade feminina no campo das artes visuais através de diferentes ações.

Texto do coletivo:

“A arte é conhecida por ser local de contestação, assim como de fazer político, na história da humanidade. Ocupamos esse espaço para falar de nossos incômodos, nos autodenominando como artistas feministas, algo que por muitas vezes é considerado um estigma. No mundo da arte, existe um excesso de imagens sobre as mulheres, mas que imaginário é este que está representado? Nosso objetivo como produtoras de imagens é sair da condição primária de espectadoras de histórias contadas sobre nós, para contar nossas próprias histórias.

Em Nítida – Qual o nosso lugar agora, se não é o mesmo de antes?, são apresentados trabalhos individuais das integrantes (Camila Domingues, Deb Dorneles, Desirée Ferreira, Leli Baldissera e Lívia Auler) e também criações em conjunto, abordando o feminismo através da linguagem fotográfica – nossos motes de pesquisa.

Como coletivo, buscamos mostrar a importância histórica e atual, muitas vezes renegado, das mulheres fotógrafas. Como artistas, falamos de nossas experiências pessoais que estão conectadas com a vivência de mulheres que, apesar de muitas vezes distantes e com diferentes graus de dificuldades, compartilham conosco a existência e resistência em uma sociedade – ainda – muito machista.

Ao traduzir essas ideias através da fotografia, seja no momento do clique ou através da apropriação de imagens, surge a exposição Nítida – qual o nosso lugar agora, se não é o mesmo de antes?”.

Serviço:

Exposição Nítida – qual o nosso lugar agora, se não é o mesmo de antes? [Coletivo Nítida]

Local: Casa Baka (Rua da República, 139 – Cidade Baixa, Porto Alegre)

Abertura: 8 de março | das 19h às 22h [bar com Cerveja Macuco]

Encerramento: 18 de maio

Visitação: segunda a sexta das 14:30 às 21h | sábados das 9h às 12h]

Entrada franca