FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

O fim de semana foi de caos em Tramandaí. A cela onde só cabem quatro detentos, abrigava 11 presos. Outros detidos ficaram algemados em viaturas na porta da delegacia, aguardando vagas. A situação chegou a tal gravidade, que o Delegado Antônio Carlos Ractz Jr, em um ato de grande coragem, decretou a interdição das duas celas da DPPA.

Além de Tramandaí, a DPPA recebe os presos de Imbé, Atlântida Sul, Cidreira, Balneário Pinhal, Quintão, Capivari do Sul, Palmares do Sul, Mostardas e Tavares. A situação, que já era preocupante, se agravou com a interdição da Penitenciária Modulada de Osório.

A direção da UGEIRM esteve em Tramandaí na tarde desta segunda-feira (26), para verificar pessoalmente a situação e prestar assistência aos policiais lotados na DPPA. A situação encontrada é realmente muito preocupante. Presos amontoados nas celas e detidos em viaturas na porta da delegacia, colocam em risco a integridade física dos Agentes e da população que utiliza a Delegacia.  Havia, inclusive, uma mulher presa, o que fazia com que os agentes de plantão tivessem que redobrar os cuidados para garantir a integridade da presa.

Esse é um problema que se tornou uma constante no governo Sartori/MDB. No fim do ano passado, chegamos a achar que o governo começava a encaminhar uma solução para a situação. No entanto, vimos que foi apenas um alívio temporário com a inauguração do Módulo II da Penitenciária de Canoas. Já no início do ano, a situação na Região Metropolitana piorou novamente. Logo em seguida, a Capital também começou a reviver o drama das carceragens. Agora, é o litoral que viu a situação se agravar.

O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, desabafa: “na realidade, nada mudou. Há uma cortina de fumaça em torno desse tema. A determinação é para jogar a sujeira para debaixo do tapete e quem ousar se posicionar sobre o tema sofre represálias. A policia está sucateada, não há como esconder isso e não será com manobras publicitárias que vamos resolver essa questão.  Quem freqüenta a delegacia de Tramadaí pode ter uma noção da verdadeira situação da segurança pública. O prédio é uma espelunca, deveria ser interditado”.