FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Se medidas urgentes não forem tomadas pela nova Secretaria de Administração Penitenciária, criada pela gestão de Cida Borghetti, situações ainda mais dramáticas serão registradas em cadeias superlotadas.

A prova disto foi o chamado urgente recebido pelo Sinclapol (Sindicato das Classes Policiais Civis) na última terça-feira (15) na Central de Flagrantes, no Centro de Curitiba para atender os policiais civis que pediam socorro.

Medidas judiciais foram tomadas pelo Sinclapol com intuito de que sejam interditadas as carceragens das delegacias de Vigilância e Capturas, Central de Flagrantes e Centro de Triagem.

Os pedidos foram encaminhados tanto ao Ministério Público quanto ao Judiciário.
Confira abaixo a nota divulgada pelo sindicato.

O Sinclapol foi chamado na última terça-feira (15) com urgência na Central de Flagrantes, no Centro de Curitiba para atender os policiais civis que pediam socorro. Ao chegar flagramos cenas que se igualavam as masmorras medievais, 140 pessoas amontoadas em cubículos de não mais que 30 m2, fétido e úmido sem nenhuma condição de abrigar qualquer ser, mesmo que esse tenha praticado delito, sem dignidade do profissional de segurança pública desenvolver seu trabalho neste local. A pedidos nos deslocamos até o prédio ao lado conhecido como CT, também no Centro de Curitiba, este com capacidade para 50 presos, contava naquele momento com 177 nas mesmas condições daqueles que estavam na Central. Logo ao lado do CT está a delegacia de Vigilância e Capturas, que não tem celas, mas estava custodiando 12 presos em um cômodo comum sem ventilação e iluminação.

Esse é um triste exemplo da atual situação da centenária PCPR. É a realidade que policiais civis e comunidade vivem em relação a nossa polícia civil do Paraná. Hoje temos um mini presídio no centro da capital paranaense que abriga de forma desumana e ilegal 329 presos.

Como cidadãos, não podemos permitir que uma má gestão destrua a história de uma instituição centenária que sempre atendeu as demandas do cidadão e hoje é tratada com irresponsabilidade por parte de seus gestores e governo e digo parlamentares estaduais são também responsáveis por grave ameaça que pode levar a PCPR ao fim.

Rohanito Navarro de Goes

Diretor de Assuntos Parlamentares