FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Foi um primeiro encontro com características de um grande desafio que certamente o Sinclapol irá enfrentar nos próximos meses, mas com objetividade e determinação. Este foi o clima da primeira reunião do Sinclapol com a governadora Cida Borghetti, no último dia 29 de maio, no Palácio Iguaçu. “Deixamos claro a governadora, que não aceitaremos mais a situação de abandono em que se encontra a Polícia Civil do Paraná, com problemas gravíssimos como, desvio de função na custódia ilegal de presos e estruturas degradantes (edificações, equipamentos e pessoal).Também não aceitamos a situação de conforto em que se encontra o Depen (Departamento Penitenciário do Paraná) que tem hoje, aproximadamente 5 mil funcionários, enquanto nós da Polícia Civil temos menos de três mil policiais civis e praticamente 50% mais presos em regime fechado do que o Depen.”

Quem descreve o primeiro contato com a governadora Cida Borghetti é o presidente do Sindicato, Fabio Rossi Barddal Drummond. O presidente e os diretores do Sinclapol colocaram em debate em uma reunião de aproximadamente duas horas, que contou com as presenças do Secretário da Casa Civil, Dilceu Sperafico e o assessor de gabinete da governadora, Alceni Guerra, as principais reivindicações da categoria que vem se arrastando por longo tempo e, nenhuma solução por parte do governo.

Reenquadramento dos Níveis

O Sinclapol também apresentou a governadora estudo do reenquadramento dos níveis por entender que não encontra parâmetro razoável, haja vista, que atualmente se faz necessário 35 anos de serviço policial para alcançar o topo da tabela, inviabilizando a sua acessibilidade, pois conforme previsão legal com 20 anos na carreira policial (+ 10 anos de contribuição), o policial adquire o direito de se aposentar. No que diz respeito à policial feminina, a situação é mais grave, tendo em vista que esta profissional com 15 anos na carreira policial (+ 10 anos de contribuição), passa a adquirir o direito a aposentadoria. É uma demanda justa e vem reparar perdas enormes aos nossos policiais civis. O reenquadramento dos níveis foi concebido para ser alcançado em 20 anos de serviço. Esta tabela uma vez implantada trará um ganho real ao servidor policial, sem precedentes na instituição PCPR.

Preocupação e Agilidade

Diante dos fatos apresentados a governadora determinou agilidade nas análises desta demanda e encaminhamento do projeto de modernização do estatuto e uma reunião com as Secretarias de Segurança e Administração de Assuntos Penitenciários, membros do Tribunal de Justiça e do Ministério Público para tratar exclusivamente de uma questão já antiga, a remoção de presos das delegacias.

Cida Borghetti se mostrou preocupada ao tomar conhecimento da real situação vivida pelos policiais civis, há décadas e entendeu a gravidade da situação. “Confirmando minhas previsões, a pasta da segurança pública é o meu maior desafio,” palavras da governadora.