FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Da Redação

O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer (MDB), se manifestou nas redes sociais a respeito da decisão que pode trazer de volta ao estado 17 presos que estavam em prisões federais. Schirmer qualificou a decisão da Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre como “um duro golpe”. A publicação foi feita nesta sexta-feira (6).

Segundo o secretário, o pedido do governo para que a permanência dos 17 presos em prisões federais fosse renovado foi rejeitado pela VEC. Para ele, uma decisão “extremamente questionável e temerária”. Schirmer anunciou ainda que irá recorrer da decisão.

O titular da SSP aproveitou ainda para saudar outras Varas do interior e a Vara do Júri da capital que teriam acatado a renovação da estadia em unidades federais para outros sete detentos.

No ano passado, o RS enviou 27 líderes de facções criminosas para unidades prisionais federais no âmbito da chamada Operação Pulso Firme.

“A decisão da VEC Porto Alegre é um duro golpe no exitoso esforço empreendido pelas instituições de segurança pública gaúchas. O retorno destas lideranças do crime para o Estado pode acarretar consequências imprevisíveis, em favor destas quadrilhas”, diz o texto.

Esse não é o primeiro desentendimento entre Schirmer e a VEC de Porto Alegre. Em fevereiro, depois que o governo desobedeceu a determinação judicial que impedia que presos provisórios fossem mantidos por meses em centros de triagem, uma das juízas da Vara, Sonáli da Cruz Zluhan, determinou a condução coercitiva e bloqueio de bens do secretário. A decisão foi revertida em recurso.

Confira o texto na íntegra:

Extremamente questionável e temerária a decisão da Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre, que rejeitou o nosso pedido para a renovação da permanência de 17 presos gaúchos de alta periculosidade em presídios federais.

Saúdo, no entanto, as decisões das Varas de Execuções Criminais de municípios do interior e da Vara do Júri de Porto Alegre, que se manifestaram de forma favorável à permanência dos outros sete criminosos que cumprem pena em presídios federais.

Há um ano, deflagramos a Operação Pulso Firme e encaminhamos 27 líderes de facções criminosas a presídios federais. O resultado deste trabalho, em parceria com dezenas instituições, se materializou na redução de indicadores de criminalidade no RS, principalmente de homicídios.

A decisão da VEC Porto Alegre é um duro golpe no exitoso esforço empreendido pelas instituições de segurança pública gaúchas. O retorno destas lideranças do crime para o Estado pode acarretar consequências imprevisíveis, em favor destas quadrilhas.

Vou me reunir com procurador-geral de Justiça do Estado, com o chefe da Polícia Civil, com o comandante-geral da Brigada Militar e com o superintendente da Susepe na segunda-feira. Juntos, e norteados pela garantia da segurança da sociedade, iremos recorrer desta absurda decisão.

Cezar Schirmer

Fonte: Sul21