FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Após quatro anos de mandato, o governo Sartori/MDB não vai conseguir nem mesmo cumprir o básico, que é pagar os salários dos servidores em dia. Quando assumiu, o governo estipulou como sua principal meta a de colocar as finanças do estado em ordem. Para isso, logo em seu primeiro ato como governador, promoveu um dos maiores cortes de investimentos da história do Rio Grande do Sul. Congelou salários, proibiu novas contratações, contingenciou investimentos, proibiu promoções e, praticamente, paralisou a máquina do estado. Em seu discurso para justificar o Decreto, Sartori afirmava que essa era a única maneira de colocar as finanças em ordem para, dessa forma, alavancar o desenvolvimento do estado.

Quase quatro anos depois, o mesmo governo anuncia que, provavelmente, não vai conseguir pagar os salários dos servidores em dia até o fim do seu governo e que o 13º de 2018 deve ser pago, novamente, de forma parcelada. Nesses quase quatro anos, Sartori/MDB, diferente do que diz na imprensa, aprovou quase tudo que propôs na Assembleia Legislativa. Aumentou impostos, extinguiu Fundações públicas, aprovou a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal da União, demitiu servidores, aprovou uma PEC congelando investimentos públicos, aumentou a contribuição previdenciária dos servidores, entre outros absurdos. Mesmo assim, chegamos ao final do governo com a situação financeira do RS pior do que quando começou.