FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

O candidato ao governo do RS, Eduardo Leite (PSDB), e o vice na chapa, delegado Ranolfo Vieira Júnior (PTB), participaram nesta quinta-feira (23/08), de uma café-da-manhã com a diretoria e associados do Sinpol RS, na sede da entidade, em Porto Alegre. Durante o encontro, Leite expôs os principais pontos de seu plano de governo e ouviu questionamentos e pedidos dos policiais civis presentes. 

O presidente do Sinpol RS e da Feipol Sul, Emerson Ayres, mediou a conversa pontuando as principais reivindicações da categoria policial como a questão das promoções represadas, das aposentadorias sobrestadas pelo Tribunal de Contas do Estado e o pagamento dos subsídios. Ayres também entregou aos candidatos uma cópia da Lei Orgânica da Polícia Civil. O documento visa a corrigir aspectos como disparidade de direitos, desvio de atribuições, cargos em excesso, desequilíbrio na carreira, investigação ineficiente, usurpação de prerrogativas, entre outros pontos. O projeto foi entregue, em março deste ano, à Secretaria Nacional de Segurança Pública.  

A proposta construída pela Cobrapol e pelas entidades sindicais regionais, entre elas o Sinpol RS, prevê, por exemplo, a criação de um cargo único com entrada única na Carreira Policial Civil como requisitos indispensáveis para a evolução funcional, com critérios de tempo e de avaliação profissional progressiva, que devem servir para assegurar a valorização ao longo da carreira. 

O candidato também foi questionado pelos participantes sobre o programa de isenções fiscais e sobre estatais. Leite avalia que será necessário revisar os benefícios fiscais atuais. Ele também afirmou que pretende privatizar estatais como a CEEE, Sulgás e CRM, mas afirmou que o Banrisul será mantido como público já que não é deficitário.

Confira os principais pontos do debate com Eduardo Leite e Ranolfo Vieira Júnior

Pagamento dos salarios em dia: 

O candidato afirmou que é preciso revisar o tamanho da estrutura do Estado, mas preserver a atuação em áreas essenciais como a Segurança Pública, onde, segundo ele 'o Estado precisa estar'. Leite assumiu o compromisso de colocar os vencimentos dos funcionários públicos em dia desde o início do mandato. 


Manter paridade e integralidade nas aposentadorias:

Provocado pelos participantes sobre o recente sobrestamento (adiamento) das homologações das aposentadorias dos policiais civis, solicitado pelo Tribunal de Contas do Estado, Leite comprometeu-se a manter a paridade e integralidade nas referidas aposentadorias. O candidato entende como direito já conquistado pelos policiais e disse não ter intenção de intervir nessa área. 


Regularização das Promoções na Polícia Civil:

Sobre as promoções, Leite também comprometeu-se a regularizar a concessão de promoções para os policiais civis, que tradicionalmente eram realizadas em dois períodos anuais e, no atual governo, estão represadas. Os candidatos prometeram estudar e rever os atuais critérios de ascensão na carreira, privilegiando a promoção por antiguidade. 


Reposição das perdas inflacionárias nos subsídios:

Oriundo de uma família de servidores públicos, Leite também comprometeram-se a, caso a conjuntura econômica permita, garantir a reposição inflacionária dos vencimentos dos servidores estaduais. Ele lembrou que, durante sua gestão à frente da Prefeitura de Pelotas, manteve a reposição das perdas nos salários do funcionalismo municipal. O candidato reconheceu a gravidade da crise pela qual passa o Estado e tem planos de atrair investimentos e rever benefícios fiscais não vantajosos para o Estado. 

Os candidatos

Eduardo leite é formado em Direito, defensor de parcerias com iniciativa privada e redução da máquina pública. Ex-prefeito de Pelotas, promete revisar o tamanho da estrutura do Estado, mas manter investimentos em áreas essenciais como a segurança pública.

Ranolfo Vieira Júnior tem 51 anos e é delegado de polícia desde 1998. Foi chefe de Polícia do RS, diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC). Formado em direito, é professor da Ulbra Canoas e da Academia da Polícia Civil do RS.