FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

previewA direção da UGEIRM esteve na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) de Porto Alegre, no dia 27 de março. Os diretores foram confirmar as várias denúncias de precariedade no funcionamento da delegacia, que é a única em Porto Alegre e na região metropolitana, com plantão 24 horas com atendimento especializado para os casos de violência contra a mulher.

Na reunião realizada com os (as) policiais lotados (as) na DEAM, a direção ouviu o relato sobre o reduzido efetivo e as precárias condições estruturais para o atendimento adequado às demandas das mulheres que procuram a delegacia. Um ponto importante, ressaltado pelos (as) policiais, é o fato da DEAM de Porto Alegre ser a única em Porto Alegre e toda a Região Metropolitana, a contar com plantão noturno, especializado no atendimento à violência contra as mulheres, o que resulta em uma grande demanda para os (as) policiais responsáveis pelos plantões.
Déficit de pessoal tem causado adoecimento de policiais.

Um dos principais problemas levantados, é o reduzido quadro de policiais na DEAM. Atualmente, os (as) policiais têm cumprido plantões de 24 horas, com apenas duas pessoas para atender a grande demanda da delegacia. Essa situação tem resultado em um alto índice de adoecimento dos (as) agentes, e uma situação de grande stress laboral. Estudos já comprovaram que os plantões de 24 horas, além de desumanos e representar um grave risco para a saúde dos trabalhadores, no caso da polícia resultam em um atendimento ineficiente, causando um grave prejuízo para a população. No caso da DEAM, essa situação ainda se agrava, devido ao atendimento diferenciado necessário às mulheres vítimas de violência.

Outra situação que tem agravado o aumento da demanda nas DEAMs, é o completo desmantelamento da rede de acolhimento às mulheres vítimas de violência no nosso estado. Com a extinção da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), no governo Sartori/MDB, os projetos e programas específicos e transversais entre as secretarias foram totalmente extintos, incluindo a paralisação dos serviços da Rede de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência (Rede Lilás), causando graves consequências para a vida das mulheres gaúchas e acarretando em um forte aumento na demanda das DEAMs pelo estado.

Instalações são completamente inadequadas para funcionamento da DEAM

Além do reduzido quadro de servidores, a DEAM de Porto Alegre sofre com uma estrutura física precária, com instalações inadequadas ao funcionamento de uma delegacia de atendimento às mulheres. Faltam privacidade, segurança e um ambiente adequado para o atendimento às vítimas.

A direção da UGEIRM ouviu o relato dos (as) policiais e já começou a encaminhar as demandas à Chefia de Polícia. Esses problemas já foram encaminhados algumas vezes à Chefia de Polícia, no governo anterior, mas infelizmente a situação não foi enfrentada. A questão também foi levada à nova Chefe de Polícia, Delegada Nadine Anflor, em sua primeira reunião com a direção da UGEIRM. Na ocasião, a delegada ouviu os questionamentos do sindicato e apresentou os planos de criação de um departamento de vulneráveis, que englobaria a DEAM. Esse departamento contaria com uma estrutura adequada para o atendimento às mulheres vítimas de violência e outros setores vulneráveis. A criação dessa nova estrutura, também representaria um reforço no efetivo da DEAM, o que melhoraria as atuais condições de trabalho dos (as) plantonistas da delegacia.