FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Da Redação

Após mais um dia de mobilização e pressão do CPERS, uma comitiva do governo José Ivo Sartori foi até a sede do sindicato, no final da tarde de terça-feira (7), para negociar uma nova proposta com o Comando Estadual de Greve. A comitiva foi composta pelo chefe da Casa Civil, Fábio Branco, pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, Gabriel Souza (PMDB), pelo secretário da Educação, Ronald Krummenauer, e pela secretária adjunta da Educação, Iara Wortmann. Os representantes do governo Sartori entregaram uma resposta ao documento de dez pontos construído nas assembleias regionais realizadas nos 42 núcleos do CPERS, tratando da proposta apresentada pelo Executivo no dia 30 de outubro.

Durante quase duas horas, o Comando de Greve debateu item por item do documento trazido pelo governo. “Limpamos algumas arestas e o governo comprometeu-se em redigir novamente o texto e nos entregar ainda hoje com esta nova redação. Assim que chegar, encaminharemos imediatamente para que os nossos Núcleos, a partir de amanhã (quarta), já possam se organizar e fazer o debate em suas assembleias regionais”, disse a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer. A direção do CPERS avaliou que a disposição do governo de revisar pontos de sua proposta de 30 de outubro é resultado da pressão e da mobilização da categoria.


Governo Sartori prometeu revisar alguns pontos da proposta apresentada dia 30 de outubro. (Foto: Guilherme Santos/Sul21)

Na manhã de terça, a secretária adjunta da Educação encaminhou à Casa Civil o documento entregue pelo CPERS. Para Iara Wortmann, a maioria dos pontos do documento “são de natureza política”, e serão analisados caso a caso. Segundo ela, pelo menos dois pontos já foram atendidos pelo governo – a retirada da Proposta de Emenda Constitucional número 257/16 e o compromisso de não demissão dos professores com contrato temporário.

Em relação ao fim do parcelamento dos salários, a partir do salário de dezembro (primeiro item do documento do CPERS), o governo reafirmou as condições já apresentadas na proposta de 30 de outubro: venda das ações excedentes do Banrisul na Bolsa de Valores e a adesão do Rio Grande do Sul ao Regime de Recuperação Fiscal dos estados proposto pelo governo federal.

O CPERS realiza nova assembleia geral, sexta-feira (10), às 12h30, em primeira chamada, e às 13h, em segunda chamada, no Parque da Harmonia para deliberar sobre a nova proposta do governo e os rumos da greve.

Galeria de fotos


Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21