FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

A UGEIRM participou, na manhã desta segunda-feira (11), de uma reunião com o deputado federal Covatti Filho (PP), para discutir a reforma da Previdência. Além da UGEIRM, estavam presentes representantes do SINPEF/RS (Sindicato dos Policiais Federais do RS) e do SINPRF/RS (Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do RS). Os sindicatos solicitaram a reunião, para apresentar ao parlamentar a posição das entidades sobre o projeto do governo Temer/PMDB e as consequências do mesmo, para a segurança pública.

O deputado Covatti Filho, reafirmou a sua posição, já declarada na imprensa, contrária ao projeto de reforma da Previdência. O parlamentar se colocou, ainda, à disposição das entidades para as discussões relativas à segurança pública.

As três entidades continuarão sua mobilização para pressionar os deputados gaúchos que ainda estão indecisos. O último levantamento, feito pelo jornal Zero Hora, revelou que dos 31 deputados federais gaúchos, apenas 2 declararam voto a favor da reforma. Ainda segundo o levantamento do jornal, a metade da bancada, 16 parlamentares, já se declararam contrários ao projeto.

O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, chama a categoria para a mobilização. “O governo Temer/PMDB já declarou que vai jogar todas as suas fichas nesta semana, para tentar conseguir os votos dos parlamentares. Temer já colocou bilhões de reais, cargos e outras vantagens na mesa, para tentar convencer os parlamentares. Por outro lado, os trabalhadores têm que continuar a sua pressão. A UGEIRM estará, nessa semana, em Brasília para fazer um corpo a corpo com os deputados federais. A pressão que os policiais vêm fazendo, com o envio de e-mail e contato direto nas bases eleitorais, está, até agora, dando resultado. O governo não está conseguindo os votos necessários, mas ainda não desistiu. Por isso, é fundamental a manutenção da pressão para conseguirmos que mais deputados se manifestem publicamente contra a reforma da Previdência. É a nossa aposentadoria que está em jogo”.