FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

Em visita a Curitiba, a presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça classificou como gravíssimo o problema dos presos no estado do Paraná. A declaração foi dada pela ministra Carmen Lúcia à equipe da TV Justiça, após a vistoria feita no Complexo Penitenciário de Piraquara.

A ministra Carmen Lúcia permaneceu no presídio por aproximadamente duas horas, durante as quais conheceu duas das suas unidades prisionais. Ela foi acompanhada por representantes do governo do estado e teria se mostrado incomodada com a situação das delegacias paranaenses, que ainda mantém a custódia de aproximadamente 9 mil presos.

Questionada sobre quais conclusões seria possível tirar da visita ao Paraná, Carmen Lúcia citou o problema das carceragens, classificado por ela como “gravíssimo”.

Sobre as delegacias, o diretor do Departamento Penitenciário do Estado, Luiz Alberto Cartaxo, afirmou que explicou à ministra as soluções pensadas pelo Paraná, em especial as prometidas 14 novas penitenciárias.

Além de representantes do governo, a presidente do Conselho da Comunidade na Execução Penal,  advogada Isabel Kugler Mendes, também acompanhou a visita nesta terça-feira (09).

À imprensa, ela avaliou positivamente a vistoria, mas falou na necessidade de contrapontos à situação apresentada pelo governo do Paraná a Carmen Lúcia.

Isabel Mendes destacou o impacto da diferença entre os espaços apresentados à ministra. A Unidade de Progressão, chamada de UP, é um projeto piloto, considerado modelo; já a Casa de Custódia é – segundo Isabel Mendes – a realidade do estado.

A visita da ministra Carmen Lúcia ao Paraná já estava programada, mas não tinha data prevista para acontecer. A presidente do Supremo veio a Curitiba depois de vistoriar unidades de Goiás.

Repórter Cristina Seciuk
Fonte site CBN - CBN1 -